sábado, 18 de maio de 2019

PORTO Jardim centenário do antigo Cinema Trindade no Porto demolido para dar lugar a hotel Arquitecto José Pedro Tenreiro considera que este caso constitui um “atentado contra os espaços naturais” que ainda existem na cidade do Porto. Câmara diz que DRCN se pronunciou favoravelmente à construção da unidade hoteleira.
 Lusa
 Fotos:Paulo Pimenta
 Ver o trabalho completo no Jornal Público
https://www.publico.pt/2019/05/17/local/noticia/jardim-centenario-antigo-cinema-trindade-porto-demolido-dar-lugar-hotel-1873142

sexta-feira, 17 de maio de 2019

PGR quer melhor e mais rápida resposta às vítimas especialmente vulneráveis Lucília Galho esteve presente na abertura da Conferência Regional Europeia da Associação Internacional de Procuradores, que se prolonga até sexta-feira.
Texto: Lusa
 Fotos: Paulo Pimenta
 Ver o trabalho completo no Jornal Público
https://www.publico.pt/2019/05/17/sociedade/noticia/pgr-quer-melhor-rapida-resposta-vitimas-especialmente-vulneraveis-1872999

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Por aqui passou uma tempestade

Fotos:Paulo Pimenta
Texto :Mariana Correia Pinto

 Vidros partidos, casas sem portas, brinquedos abandonados, retratos deixados para trás — 45 anos de memória. Despojos de vidas já noutras geografias. O Aleixo nos dias do fim assemelhava-se a cenário de catástrofe. Portas retiradas, caixilhos das janelas colhidos, portadas de armários arrancadas, louça de casa de banho levada, cobre extraído como ouro. A oportunidade de uns na perda de outros. Quem ali entrasse sem saber o contexto, julgar-se-ia em contexto de catástrofe. Vítima de um abalo? Mártir de um longo esquecimento? Não, apenas um bairro despejado. “Já ninguém salva o Aleixo”, reconhecia tristemente um morador enquanto se despedia, mais uma vez. Outro, ao lado, vasculhava os escombros em busca de um azulejo amarelo torrado das fachadas. Escolhia o mais bonito. Queria levá-lo casa. Um dia, quando a paisagem portuense já não mostrar as gigantes torres, para alívio de uns e mágoa de outros, há-de contar a quem não se lembre ter guardado um pedaço de um bairro. Uma outra história da cidade. Nasceu com o país livre, em Abril de 74. Esvaziou-se este mês, 45 anos depois. Este é um dos retratos do Aleixo, nas palavras de quem o viveu por dentro. Os dias do fim num bairro portuense onde cidade e país se podem ver ao espelho.

 Ver o trabalho completo no Jornal Público
https://www.publico.pt/2019/05/11/fotogaleria/aqui-passou-tempestade-394872

# Fotógrafo Convidado do Mês de Maio : André Rodrigues

André Rodrigues
Formado em Engenharia Biologica em 2009 depressa descobri que o mundo real não é aquilo com que idealizamos durante a juventude e encontrei na fotografia o escape para um mundo só meu. Em 2018 terminei o curso profissional no IPCI (Porto) e estagiei no jornal Público, do qual me tornei colaborador em janeiro de 2019.

Do ponto de vista documental, interesso-me pelas tradições culturais que preservem a nossa identidade. Outrora extremamente vanguardista, com o passar dos anos começo a questionar-me se a nossa visão de sociedade não estará, cada vez mais, a uniformizar a maneira como nos vemos.

As fotografias que escolhi foram captadas em Janeiro de 2019 na tradição espanhola “Las Luminárias” decorre na noite de 16 de Janeiro na pequena localidade de San Bartolomé de Pinares, a cerca de 25 quilómetros de Ávila, Espanha. De acordo com a tradição, os animais (cavalos), que trabalharam durante o período agrícola, para se livrarem de quaisquer males e fossem purificados, saltam fogueiras alimentadas com giestas húmidas, recebendo assim o fumo purificador numa celebração que se pensa que tenha tido origem durante o século XVIII e que está intimamente ligado ao dia de Santo António (17 de Janeiro), padroeiro dos animais.

segunda-feira, 13 de maio de 2019

Quando o Aleixo conta outra história do Porto Inaugurado no ano da Revolução, o Aleixo foi morada dos imaginários de gente pobre da Ribeira. Ali se fizeram amizades e casamentos. Filhos, netos, bisnetos. A vida normal. Depois, veio a droga e corrompeu-lhe os sonhos. Tomou-se a parte pelo todo. Deu-se a sentença do fim. Breve viagem pelas delicadezas e desgraças de um bairro onde cidade e país se podem ver ao espelho.
Texto: Mariana correia Pinto
 Fotos: Paulo Pimenta
Video: Teresa Pacheco Miranda

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/lurdinhas-saiu-volta-dias-nao-conheco-nada-1872161
https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/zelador-da-torre-ficou-sem-casa-nova-1872163

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/graca-ficou-quatro-menores-irma-presa-1872164

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/sol-lua-tempo-nao-pobres-1872162

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/sonho-memorial-morreu-aleixo-1872166

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/ribeira-vim-emprestado-aleixo-1872165

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/queremos-casas-dignas-1872167

https://www.publico.pt/2019/05/11/local/noticia/assalto-torre-2-direito-habitacao-1872180