terça-feira, 17 de setembro de 2019

Fugas

REPORTAGEM PASSEIOS

Nos passos de Aquilino: Terras do Demo, uma geografia sentimental feita território literário.
 Entre as serras da Nave e da Lapa, entre rios e ribeiros, nasceu da pena de Aquilino Ribeiro Terras do Demo, que de título de livro passou a designar todo um território. “São-no de facto?”, haveria de reflectir. “Suponho que sim, tanto pelo agreste do meio como pela vitalidade furiosa dos seus habitantes.” No centenário da obra, visitamos a região. Andreia Marques Pereira (Texto) e Paulo Pimenta (Fotografia)
Ver o trabalho completo na Fugas Jornal Público
https://www.publico.pt/2019/08/17/fugas/reportagem/passeio-terras-demo-aquilino-ribeiro-1883185

domingo, 8 de setembro de 2019

O “marajá” português que dá o que recebe da Índia Primeiro foi a fotografia, depois chegou a Índia. Duas paixões, muitas viagens intercontinentais, uma “segunda casa”, “segundas famílias”. Agora, Hugo Lima lidera viagens fotográficas que ajudam a promover projectos sociais no país que, atrevemo-nos a dizer, lhe mudou a vida. 
Andreia Marques Pereira (Texto) e Paulo Pimenta (Fotos)
 Ver o trabalho completo no Suplemento Fugas Jornal Público
https://www.publico.pt/2019/09/07/fugas/perfil/maraja-portugues-recebe-india-1885233

FOTOGALERIA
 À sombra das tílias, a despedida do Verão na Feira do Livro do Porto
 Ver o trabalho completo no Jornal Público
https://www.publico.pt/2019/09/08/culturaipsilon/fotogaleria/feira-livro-porto-396921

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

#O Convidado do Mês Setembro é Miguel ‘maique’ Madeira#

Miguel ‘maique’ Madeira, fotógrafo. Depois de duas décadas a fotografar para o jornal Público, decidi que já chegava e fiz-me à estrada como freelancer.

 1. Viajar é a prioridade e, com muito empenho da minha mulher, conseguimos passar meses no Príncipe, e ter uma lua de mel prolongada, com quatro meses a descobrir a Ásia. Pelo meio vou fazendo fotografia de cena, mas a viajar é que me sinto bem. Muitas vezes sem máquina fotográfica, apenas com o telefone na mão.
 2. O Príncipe continua a ser o sítio do mundo onde me sinto mais em casa. Foi lá que conheci a minha mulher, foi lá que casámos.
 3. As pessoas da ilha, que nos receberam de forma tão generosa, que organizaram o nosso casamento, que tratam de nós a cada visita, são família. Passados quatro anos desde a primeira visita, consegui finalmente arranjar coragem para os começar a fotografar. Ficam aqui alguns dos retratos. Se quiserem ver mais podem visitar

https://maiquemadeira.com/principepeople

maiquemadeira.com

instagram.com/maique













domingo, 1 de setembro de 2019

#O meu querido mês de Agosto chegou ao fim#


Foi um mês fantástico , o melhor dos últimos anos ,senão o melhor,e então comparando com o do ano passado que estava de rastos e cheio de ruido à minha volta , este ano foi MÁGICO , fiz reportagens que ficam na memória, trabalhos do dia, propostas para o Jornal Público e festivais , terminando no Vilar de Mouros. Terminei da melhor maneira com os Guerreiros do pó de Vilar de Mouros no concerto Prophets of Rage, foi MÁGICO .
Faz hoje oito dias que  tive um episódio de saúde, que me fez passar pelo hospital, agora está tudo bem , estou a regressar ao trabalho .
A vida é BELA e a FOTOGRAFIA  também.
Vou continuar a respirar fotografia, e a trabalhar no sítio que me faz Feliz  Jornal Público.
Até já